domingo, 6 de dezembro de 2009

mágica

enquanto espero, fico pensando,
como é que faz se não conseguir mais seguir sem você.
faço uma mágica pro tempo expirar.
faço uma prece pra paixão perdurar.
do lado de lá, fico pensando,
como é que faço pra ultrapassar
em tempos mágicos, fictícios e reais.
faço um pedido pra paralizar, no que seus olhos me dizem,
no que me faz pensar, enquanto me pede pra ficar.
como é que faço pra me separar, se o tempo não for mágico,
peço pra que não exista o que não foi,
que tudo se vá com o sol, voltando todos os dias, me levando até você, sob o mesmo céu.

domingo, 4 de outubro de 2009

uma e meia

Fiquei lá por meia hora
não deu pra concluir, faltou tempo.
Era uma e meia e desejei não estar mais.
Ser desejável, desejada, desejar...
Não era meu desejo, não tinha tempo que me tirasse isso.
Agora tenho mais que meia hora pra re desejar.
Assumo que não consigo ser desejada, porque é ele quem me consome.
Escolho por mim, por não ser parte do outro.
Nem que desejasse por mais meia hora, não saberia ser essa parte
que me persegue, aflinge, corrompe.
Não deixei que me tivesse, ainda não aprendi permitir,
ser desejável, desejada,
desejar ser mais do que meia, ser sempre uma e meia.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

de tempo em tempo

Espero não ter mais que esperar
não ver o tempo que virá, sem hora, sem avisar
não sentir o que esse tempo faz passar.
Fico a te esperar, nesse tempo que se vai, sem avisar.
Esperando o que virá, penso se esse tempo vai chegar
quando vejo você passar, por mim, pelo que me tornará.
Em que tempo vamos estar quando por nós ele passar
sem hora, sem avisar.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Voltas e reviravoltas

Olhando aqui de cima, pra onde você me trouxe,
penso que pode não haver mais volta.
Quanto mais subo, mais vejo um início do final que nunca alcanço.
E que seria bom se eu não alcançasse mesmo.

Quanto mais me distancio do chão, mais não quero voltar.
Fico dando voltas, saltitando, me desmanchando pelo ar.
Sendo levada pra onde me couber.

Segure minha mão e me erga.
Quero estar extamente aqui, pra onde me trouxe,
me revirando nos percursos do que não vejo,
subindo por entre os contornos do que sinto,
vendo meu coração saindo de mim.

Olhando aqui de cima, pra onde você me trouxe,
me agarro nos detalhes que fazem parte de um caminho
cheio de voltas, que se tornaram reviravoltas,
pelas quais eu não quero mais voltar.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Eu vim de lá

Diz o sabiá que eu vim de lá,
com o ninho mais cheio
de uma coisa nova e das mesmas coisas velhas,
renovadas.
Diz o beija-flor que eu não tinha opções.
Realmente não, tinha escolhas.
Se eu sei de onde vim,
trouxe encantos e desencontros.
Se me perdi, trouxe encontros e desencantos.
Diz o sabiá que viria numa eternidade, à moda antiga
sem saber se o beija-flor ainda voava por lá,
de onde vim e pra onde vou.

domingo, 31 de maio de 2009

Remendos

Não quero remendar coisas velhas,
quero coisas novas e melhores,
coloridas e divertidas,
sem furos, rasgos ou surradas,
nem desbotadas ou usadas,
extravagantes ou mortas,
apenas novas e melhores,
sem remendos, apenas emendas.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Agora?

Quem é você agora?
Te dividi em dois, que não reconheço mais.
Dois.... mas que um faz parte de mim.
Um que me assusta e outro que é indiferente.
Hoje percebo um de você.
Diferente de antes, mas qual?
Indiferente, é diferente.
Hoje percebo uma parte inacessível de você.
Apesar deu não ter afeto, nem adepto.
Sinto pouco de você, mas será que dei parte de mim?
Falta algo de você, mas sei que também falta de mim.
Me vejo mais em você, apesar der não te perceber em mim.
Afinal,
Quem sou eu em você?
Sem saber... aonde você está.... agora...
Apesar de não saber quem é você, com ou sem mim.
Quem é você agora?
Eu sou eu, sem você, agora.

sábado, 18 de abril de 2009

Acredite...

A vida responde conforme você acredita.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Ex-pectativas

Meu amor por você me divide entre o que quero e o que desejo.
Sem expectativas, de um jeito diferente.
Além do que prometo de mim.

Minha tentativa em você, me divide entre o que não detenho.
Sem expectativas, mesmo diferente.
Além do que quer de mim.

Minha espera por você, me divide entre meus limites.
Sem expectativas, indiferente.
Além do que sei de mim.

Meu encanto por você, me divide entre meus jeitos de amar.
Sem expectativas, sempre diferente.
Além do que insiste de mim.

Meu anseio por te ter, me divide entre o que penso e o que sou.
Sem expectativas, diferentemente.
Além do que soube de mim.

Minha verdade em você, me divide entre meu saber.
Sem expectativas.
Nada diferente do que você deveria ser.

Meu coração sem você, se divide entre o que decido.
Sem expectativas.
Agora diferente de tudo que tentei ser.

terça-feira, 31 de março de 2009

Do seu jeito

Seduz, e tem um jeito de menino em fazer isso.
Seu jeito de homem cultiva uma saudade distante,
que se renova, com mais amor,
a cada novo amor.

segunda-feira, 30 de março de 2009

Sem fim

Hoje não chorei como naquele dia.
Fugi do sonho e me encontrei em mim.
Desfiz sua imagem e a refiz em mim.
Te arranquei de um mundo e recoloquei em mim.
Te salvei de um tormento e me salvei de mim.
Me obriguei a te amar.
E recebi amor sem fim.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Nem sempre eu

Quem sou eu que não te reconheço em sua forma?
E que não te deixo aparecer?
Quem sou eu que tenho medo do que vejo mas não encontro?
E que não te aceito?
Quem sou eu que te misturo num só?
E que não desapego do que não me pertence?
Quem sou eu que não quero que o tire de mim?
E que não sei amar?
Quem sou eu que descubro antes a falta do que a presença?
E que me aprisiono no que me liberta?
Quem sou eu que vivo mas não assumo?
E que me entrego em minha própria vontade?
Quem sou eu que pareço a ilusão?
E que por parecer, atraio a desilusão?
Quem sou eu que entendo o que quer me ensinar?
E que por isso, sei que só dói depois de toda chance se esgotar.

domingo, 8 de março de 2009

Tempo

No seu tempo,
no meu tempo,
nos encontraremos na metade desse tempo.

quarta-feira, 4 de março de 2009

Vento

Sendo o ar nada me segura, nem me aprisiona
Me envolve e retém um pouco de mim por tempo infindo
ou muito de mim só por ora
Vou e volto sem deixar rastros, mas largando marcas
Preciso da troca para viver
um tanto de mim em vc, outro tanto de você em mim
Sem sobras, somente o justo, por ora.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

My Lord

O que me glorifica é o que me destrói. Ora pela presença, ora pela falta.
Mesmo assim tomarei meu trono e até que a guerra acabe,
ficarei esperando pelo retorno de meu guerreiro.
Não como uma eterna tecedeira, mas como uma rainha.
Quando sua exaustiva jornada terminar, estará a salvo e não precisarei recompor suas partes.
Darei acolhimento para teus tormentos e acalentarei a dor em seu peito.
Não precisará proteger seu coração, eu serei seu escudo.
Serei alegre em servir-te por séculos de males bem sofridos.
Males que precisarei contrair para entender.
Tenha calma, seja valente.
Não o deixarei morrer no campo de batalhas, segurarei tua mão.
Garantirei que a esperança não seja roubada de mim, pois não serei covarde em retirar-me do meu lugar conquistado entre tantas guerras e sofrimentos.
"Deus vai dar aval sim, o mal vai ter fim, e no final, assim calada, serei coroada rainha de mim"

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Desejo de coragem

"O correr da vida embrulha tudo.
A vida é assim: esquenta e esfria,
aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta.
O que ela quer da gente é coragem."
(Guimarães Rosa)

" Hoje vou dormir lançada na imensidão da dúvida e da escolha.
Escolha que implica numa perda, que implica no medo, que implica no risco.
Querer ou desejar?
Desejar ou necessitar?
Hoje quis o que desejava, que me era necessário.
Que implicou em decidir, que implicou em angustiar.
A minha satisfação imediata me livrou da angústia, anestesiou,
desvaneceu minha condição de desejar.
A minha angústia me indagou sobre meu desejo.
Desejei não me apagar dos desejos sem me angustiar.
E sim ter coragem para desejar"
(Cristina Rosa)

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Inabalável


Quando penso na falta
sinto um devaneio de dor
um amor inacessível.
Me sinto entrelaçada no tempo
a juntar cacos de dias perfeitos.
Fecho os olhos e eles reagem por mim
vejo a falta esconder a presença.
O outro lado do coração quer respirar
e fazer com que a dor não seja avassaladora.
Tento juntar dois agora diferentes
num só pensamento, numa só união.
Quando penso em você
sinto um amor inabalável
aqui, tão perto
mas tão longe de me trazer sentido.
Sentido esse que não faz sentindo mais.
Foi-se embora com o choro
dando lugar à paz.

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Vice-versa

Te conheci de um jeito que não esperava
me encantei de um jeito que não esperava
compus de um jeito que não esperava
desiludi de um jeito que não esperava
"re-iludi" de um jeito que não esperava
apaixonei de um jeito que não esperava
e me aprendi por tudo que esperava.

Te guardei junto com as coisas que já tenho como certas.
De mim você já faz parte.
Se te pedi pra não me perder, já é seu.
De um jeito que não se espera, aconteceu.

Ponto Extra: Thiago Dibeto

domingo, 25 de janeiro de 2009

Descomposição

Você me quis, me compôs,
se fez em mim,
eu te derperdicei.
Você me quer, sem composição,
eu me faço em ti,
me entrego a você.
Você me espera,
eu volto pra ele.
Você me tem,
e eu me desperdiço nele.

Achados e perdidos

Te procurei, achei.
Te encontrei, me perdi.
Te possuí, me achei.
Te perdi, me encontrei.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Nem sempre

sempre.
ora só de corpo
ora só de alma
sempre de corpo e alma.

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Menos uma noite

o que gosto são os detalhes
que pra mim são preciosidades que formam o todo
gosto, jeito, gestos, susurros, olhares
ardente, galanteador, cuidadoso, envolventes, verdadeiros
detalhes imensos que tomam meu corpo
apoderam-se de mim por inteiro e
invadem meu coração em detalhes.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Cozinha Rosa " Mexidão"

" Nem pró, nem contra. Foi pré e pró".


" A gente toma conta da gente, sem tomar conta disso"



"A luz limita, mas extravasa.
O escuro toma conta e a luz acontece"

"Viva o 1/2 do mato. Nem 1/3, nem 1/4. Viva o 1/2 do mato"

Ponto Extra: Hélio Aroeira

Salvem as baleias



quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Devolva-me pra mim

No escuro te encontrei,
mas não era mais você.
Seus olhos me pediam,
sua boca me desejava.
Meu corpo solto nas batidas
que me levavam a você.
De uma extremidade a outra
eu implorava seus olhos juntos aos meus.
Me distraí, me perdi.
Me levei para o desconhecido, para o solitário
Fiz círculos, como uma borboleta,
que não era verde nem colorida.
Estive surda, cega, sem ação.
Ações despretenciosas, com pretenções em você.
Volto para de onde vim
vazia, sem alma.
Quero que me devolva o que tomou de mim
e o que me tornou.
Em círculos você me colocou,
em prova me deixou.
Vôo que não alcanço,
vazio que não preencho,
coração que não pertenço.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Rosa pra quê? clique e veja o clip " Samba da Rosa"

Rosa prá se ver, Prá se admirar
Rosa prá crescer, Rosa prá brotar,
Rosa prá viver, Rosa prá se amar
Rosa prá colher, E despetalar...

Bom dia, minha flor (intervenção)

Rosa prá dormir, Rosa prá acordar
Rosa prá sorrir, Rosa prá chorar,
Rosa prá partir, Rosa prá ficar
E se ter mais uma Rosa mulher...

Vinicius de Moraes

Picanha ao maracujá

É assim:
Você convida umas 10 pessoas legais, amigas e divertidas pra sua casa. Namorando, casando e avulsas.
Todos levam cerveja
Enquanto eles bebem e comem tira-gosto, você cozinha, muda a música, senta, conversa, fofoca, ri pra caramba e volta pra cozinha.


O que vai gastar: + - 70,00
2 picanhas suínas temperadas (compra no supermercado e não no açougue)
1 cebola ralada
algumas folhas de hortelã
1 xícara de suco de maracujá (coado)
1 xícara de vinho tinto
1 xícara de polpa de maracujá com semente (3 maracujás dá pra fazer tudo)
1 colher de sopa de mel
1 colher de sopa de farinha de trigo

Como:
Colocar a picanha em uma vasilha e jogar por cima: a cebola, o hortelã, o suco do maracujá e o vinho. Deixar umas 2 horas descansando.
Enquanto isso, você se diverte com seus amigos. Mesmo a picanha vindo temperada, tem que fazer isso!

Ligar o forno com 15 minutos de antecedência
Forrar um tabuleiro com papel alumínio
Colocar a picanha e o caldo todo no tabuleiro
Cobrir o tabuleiro com papel alumínio
Deixar assar por 1 hora

Enquanto isso.... você bebe, esquematiza o chá de panela, fala sobre o gatinho que te ligou falando que não iria, fala sobre o futuro e....

Tira a picanha do forno
Coloca o caldo que sobrou numa panela. Acrescenta a polpa do maracujá, o mel e a farinha de trigo.
Quando ferver, desliga o fogo
Coloca a picanha assada numa travessa bem legal e joga esse molho por cima.

Acompanha:
arroz
feijão tropeiro
musse de capuccino
e cerveja pra durar até as 22h.

Sem bater

Coração bate
coração dói
melhor momento de se aprender
bate coração
nos obriga a pensar
coração bate
nos obriga a viver
sem pensar, sem bater.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

listras

Foi numa viagem interminável e não voltou
não sei por onde ficou, nem se vai voltar
ficaram listras que separam meu coração
os ponteiros me fazem esperar
espero a cor verde juntar-se a vermelha e transfigurar o duplo em ímpar
furta-cor no que vejo e transparente no que sinto
aguardo o frio pra te sentir protegido
aguardo o céu se abrir
o azul mistura ao verde e o dia se faz colorido
se te persigo, não te encontro
em meus sonhos nunca te perco
a espera me aflinge
ainda vejo os dias verdes sorrindo pra mim
sob o chão vejo você em torno de mim
o céu se abre e nossa eternidade de faz colorida.

des-pertenço

Não sei o que dói mais
nem sei porque dói
o que segura não é seguro
a segurança me afasta
adoro suas camisetas e o cuidado em vestí-las
adoro sua euforia em me ver
e nosso abraço interminável na multidão
nas horas impróprias você me atormenta
na sua ausência, sinto sua presença
em meu corpo, em meu coração
a falta que me faz
a falta que te crio
fácil seria escolher entre as listras e os cacheados
que se envolvem em minhas mãos
não me perde não.
me perco em mim, em ti, em nós
me acho distante
me encontro em você, mas não me encontro em mim
sou eu assim sem você
não sou eu porque não me reconheço mais em mim
e não pertenço mais a você.

sem saber

Meus olhos, seus olhos
Nossas dúvidas, minha certeza
o invisível me persegue

olhando aqui de dentro, vejo dias coloridos
envolvo em mim mesma
desobedeço o incontrolável
não saio dos limites
sei, não faço. faço, sem saber
meu coração circula dando voltas assimétricas
um dia seu olhos, meus olhos
se encontrarão no ponto mais alto dos meus sonhos
controlando minhas dúvidas,
sua certeza.