domingo, 15 de fevereiro de 2009

My Lord

O que me glorifica é o que me destrói. Ora pela presença, ora pela falta.
Mesmo assim tomarei meu trono e até que a guerra acabe,
ficarei esperando pelo retorno de meu guerreiro.
Não como uma eterna tecedeira, mas como uma rainha.
Quando sua exaustiva jornada terminar, estará a salvo e não precisarei recompor suas partes.
Darei acolhimento para teus tormentos e acalentarei a dor em seu peito.
Não precisará proteger seu coração, eu serei seu escudo.
Serei alegre em servir-te por séculos de males bem sofridos.
Males que precisarei contrair para entender.
Tenha calma, seja valente.
Não o deixarei morrer no campo de batalhas, segurarei tua mão.
Garantirei que a esperança não seja roubada de mim, pois não serei covarde em retirar-me do meu lugar conquistado entre tantas guerras e sofrimentos.
"Deus vai dar aval sim, o mal vai ter fim, e no final, assim calada, serei coroada rainha de mim"

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Desejo de coragem

"O correr da vida embrulha tudo.
A vida é assim: esquenta e esfria,
aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta.
O que ela quer da gente é coragem."
(Guimarães Rosa)

" Hoje vou dormir lançada na imensidão da dúvida e da escolha.
Escolha que implica numa perda, que implica no medo, que implica no risco.
Querer ou desejar?
Desejar ou necessitar?
Hoje quis o que desejava, que me era necessário.
Que implicou em decidir, que implicou em angustiar.
A minha satisfação imediata me livrou da angústia, anestesiou,
desvaneceu minha condição de desejar.
A minha angústia me indagou sobre meu desejo.
Desejei não me apagar dos desejos sem me angustiar.
E sim ter coragem para desejar"
(Cristina Rosa)

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Inabalável


Quando penso na falta
sinto um devaneio de dor
um amor inacessível.
Me sinto entrelaçada no tempo
a juntar cacos de dias perfeitos.
Fecho os olhos e eles reagem por mim
vejo a falta esconder a presença.
O outro lado do coração quer respirar
e fazer com que a dor não seja avassaladora.
Tento juntar dois agora diferentes
num só pensamento, numa só união.
Quando penso em você
sinto um amor inabalável
aqui, tão perto
mas tão longe de me trazer sentido.
Sentido esse que não faz sentindo mais.
Foi-se embora com o choro
dando lugar à paz.

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Vice-versa

Te conheci de um jeito que não esperava
me encantei de um jeito que não esperava
compus de um jeito que não esperava
desiludi de um jeito que não esperava
"re-iludi" de um jeito que não esperava
apaixonei de um jeito que não esperava
e me aprendi por tudo que esperava.

Te guardei junto com as coisas que já tenho como certas.
De mim você já faz parte.
Se te pedi pra não me perder, já é seu.
De um jeito que não se espera, aconteceu.

Ponto Extra: Thiago Dibeto