segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Voltas e reviravoltas

Olhando aqui de cima, pra onde você me trouxe,
penso que pode não haver mais volta.
Quanto mais subo, mais vejo um início do final que nunca alcanço.
E que seria bom se eu não alcançasse mesmo.

Quanto mais me distancio do chão, mais não quero voltar.
Fico dando voltas, saltitando, me desmanchando pelo ar.
Sendo levada pra onde me couber.

Segure minha mão e me erga.
Quero estar extamente aqui, pra onde me trouxe,
me revirando nos percursos do que não vejo,
subindo por entre os contornos do que sinto,
vendo meu coração saindo de mim.

Olhando aqui de cima, pra onde você me trouxe,
me agarro nos detalhes que fazem parte de um caminho
cheio de voltas, que se tornaram reviravoltas,
pelas quais eu não quero mais voltar.