sábado, 1 de maio de 2010

Insofrido

Parece que ele se esconde de mim. Ou sou eu quem o ignoro.
De onde vem isso que dissipa meu coração e paralisa meu corpo?
Só consigo ver uma dor cortante, dor de alma ou de coração.
Penso na atenção que desconheço, na rejeição que me afasta.
Quero que me livre dessa âncora que me pesa, que me prende.
Que me tire dessa posição de anódroma.
Depois que o coração pára de doer, respiro fundo, me acalmo, me sinto novamente paralizada.
Suplico que me salve de minha estupidez.